Todos os artigos na categoria Notícias

Campanha Continental

 

Garantia TYRE PROTECT está disponível nas Oficinas ContiService!

Com a Garantia TYRE PROTECT a Continental Pneus Portugal une-se a uma entidade autorizada a exercer a atividade seguradora em Portugal, a Interpartner Assistance, para lhe oferecer cobertura perante rebentamento, bolha ou furo dos seus pneus, com:

Garantia adicional
Assistência em viagem
Serviços de montagem

Válida para as marcas Continental, Uniroyal, Barum e Sportiva.

Peça informação na sua Oficina ContiService!

 

CONDIÇÕES GERAIS
A garantia Tyre Protect é válida pelo período de 12 meses contados a partir da data de emissão da nota fiscal de venda e serviço para pneus de todas as marcas (Turismo, Van e 4×4), comercializados por Agentes aderentes. A garantia só é válida após ativação por parte do Agente.

TYRE PROTECT EM 3 PASSOS
1. Aquisição dos pneus Continental, Uniroyal, Barum ou Sportiva num Agente Aderente;
2. Ativação da garantia por parte do Agente Aderente (online);
3. Cobertura total para danos acidentais nos pneus pelo período de 12 meses.

COBERTURA
a) danos acidentais que provoquem rebentamento, bolha ou furo do pneu (impactos nas bermas de passeio e outros obstáculos, buracos no pavimento);
b) cortes provocados por pedras, vidros, objetos cortantes;
c) serviços inerentes à montagem dos pneus;
d) assistência em viagem: (reboque/ desempanagem) e continuação de viagem.

LIMITES
a) limite da apólice: 450€;
b) limite por sinistro: 300€;
c) sub limite de intervenção por reparação do pneu: 22€;
d) sub limite de intervenção por substituição do pneu: 48€;
e) número máximo de sinistros por anuidade: 2.
(valores com IVA incluído)

EXCLUSÕES
a) desgaste natural do pneu, desgaste irregular do piso e quilometragem;
b) danos provocados por catástrofes da natureza (sismos, cheias, vendavais…);
c) danos colaterais / intencionais decorrentes de atos de vandalismo;
d) furto ou roubo.

INDEMNIZAÇÕES
Em caso de sinistro, o Cliente que pretenda acionar a respetiva garantia, deverá contactar a Seguradora através do número 210 321 853 disponível 24h, e seguir as instruções que lhe serão dadas pelo operador, ou então, dirigir-se ao Agente onde adquiriu os pneus e informar que está abrangido pela garantia TyreProtect, referindo qual. O Agente irá contactar a Seguradora para comunicar o sinistro e obter o número de autorização atribuído ao processo. Só então poderá ser efetuada a substituição ou reparação até aos limites pré definidos.

OBSERVAÇÕES
Sempre que o cliente alterar os pneus de posição (entre eixos) no veículo, deverá comunicar à Interpartner Assitance sob pena de perda da garantia. Ultrapassado o período da data de cobertura da garantia, prevalecerá o Termo de Garantia previsto por lei.

ELEGIBILIDADE
Serão considerados elegíveis para esta cobertura os pneus instalados num veículo desde que tenham permanentemente pelo menos 1,6 mm de altura de relevo e cumpram todos os seguintes critérios:
a) Tenha legalmente a marca “E” ou “e” que certifica que o pneumático cumpre os requisitos dimensionais, de desempenho e marcação da DIRETIVA 92/23/CEE ou equivalente.
b) Não tenha sido submetido a Recauchutagem.
c) Nunca tenha sido instalado num veículo diferente dos listados na definição do “Veículo”.
d) Tenha uma jante com a dimensão máxima de 22”.
e) Não seja classificado como Pneu de Inverno.
f) Não seja classificado como pneu sobresselente compacto (pneu de emergência).
g) Não seja do tipo “RunFlat”.

Também não são aceites pelo presente contrato os pneumáticos equipados nos seguintes tipos de veículo:
a) os destinados a aluguer com ou sem condutor, ou a outros fins lucrativos, ou a Serviço Público ou Profissional, como Rent-a-Car, táxis, Ambulâncias, Polícia, Escolas de Condução, Furgões Funerários e Veículos de Distribuição.
b) Os empregados, mesmo que esporadicamente, para qualquer competição desportiva, seja esta amadora ou profissional, ou para treinos, ou para corridas de qualquer tipo.
c) Os pertencentes a alguma das marcas ou modelos seguintes: Hummer, Ferrari, Maserati, AC, Lamborghini, Rolls Royce, Bentley, Alpina, Aston Martin, De Tomaso, Bugatti, Lotus, Morgan, Aro (outros, dependendo do país).
d) Qualquer um que não esteja listado nas guias profissionais para avaliação de viaturas usadas (tipo EUROTAX) correspondente ao mês da subscrição da garantia.
e) Os submetidos a modificações ou alterações, em momento posterior à sua saída da fábrica que afetem a planta Motriz, Suspensão ou Transmissão.
f) Aqueles que apresentem manipulações no conta-quilómetros, antes ou depois da subscrição da garantia.

A informação disponibilizada em cima, não dispensa a consulta das Condições Gerais que se encontram em baixo.

 

Consulte as Condições Gerais da Garantia Tyre Protect aqui

Preço: 89€


 

Características:

Um pneu unidireccional que lhe assegura bons resultados em estrada seca ou molhada. Apresenta uma excelente tracção à estrada, boa manipulação. A mistura da borracha com sílica assegura uma excelente tracção em todo tipo de estrada. A carcaça para pneus de competição está envolta numa cinta de aço para assegurar uma maior estabilidade, segurança e conforto na condução. A banda de rodagem escoa facilmente as águas. Com uma borda saliente para a protecção da jante. Continuar a ler

Campanha ACAP

Pela sua segurança:
PNEU USADO, PODE SER ARRISCADO!

A ACAP e a Comissão Especializada de Produtores de Pneus, seus Associados, lançaram em Conferência de Imprensa, hoje realizada, a Campanha “Pela sua segurança – Pneu Usado, Pode Ser Arriscado!”, com o objectivo de sensibilizar o consumidor para os riscos inerentes à utilização de pneus usados, não controlados, de origem desconhecida.

Os pneus são o único elemento do veículo em contacto com o solo. É por isso que são essenciais para a segurança de um automóvel. E na segurança não se poupa – o barato pode sair caro.

Existe um risco associado à aquisição de pneus usados, ainda que visivelmente em bom estado, especialmente os que têm um passado desconhecido ou duvidoso. Os pneus usados podem ter sido expostos a utilizações, manutenções e armazenamento impróprios, podendo estar danificados ao ponto de os tornar não utilizáveis.

Ao comprar pneus usados, não controlados, o consumidor pode incorrer em riscos de segurança, pela perda das qualidades originais e danos não visíveis do pneu, risco de ilegalidade, se o pneu não tiver a profundidade mínima de lei, risco de perda de dinheiro por gastos imprevistos e até risco de afectar o ambiente.

Resultados recentemente apresentados, após uma Campanha de revisão de pneus, referem que um em cada três veículos circula com pneus com pressão incorrecta, 9% circulam abaixo do limite legal de piso de 1,6mm* e 17% dos pneus tem danos visíveis. (1)

Estudos desenvolvidos, concluem ainda que, de todos os veículos implicados em acidentes com vitimas e que apresentavam algum problema mecânico, 62% dos mesmos tinham defeitos nos seus pneus e que num em cada 100 acidentes mortais estão implicados directamente defeitos nos pneus dos veículos. (2)

Por diversas vezes, testes comparativos têm vindo a evidenciar graves problemas de qualidade dos pneus importados, não controlados, relacionados com a segurança, principalmente na condução em piso molhado e distância de travagem em piso seco. (3)

Considerando o impacto sócio-económico desta problemática, a Campanha tem o apoio de diferentes Entidades com responsabilidades reguladoras, inspectivas e ambientais, que se prontificam a actuar com o objectivo de promover a segurança rodoviária, menores impactes ambientais e, ainda, prevenir custos decorrentes do incumprimento da legislação vigente.

A introdução de pneus usados, não controlados, de origem desconhecida, tem implicações negativas na segurança rodoviária, custos para o País e para o ambiente que importa combater:

 

  • A introdução destes pneus usados no mercado nacional não está sujeita ao mesmo controle da garantia das qualidades originais, do que os pneus em estado de novo, em prejuízo dos consumidores e da livre concorrência dos agentes económicos, retirando, assim, eficiência às actividades inspectivas.
  • Não raras vezes estas práticas fogem às obrigações para com o Sistema de Gestão de Pneus Usados da Valorpneu, prejudicando a desejável justiça do Sistema, um Ecovalor equitativo e uma leal concorrência.
  • Estes pneus usados importados, não controlados, têm um maior custo de reciclagem e um maior risco de abandono (maior impacto ambiental e ameaça à saúde pública).

 

Assim, o IMTT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, a ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a Unidade Nacional de Transito e a Valorpneu, actuarão ao nível da sensibilização, adaptação da legislação e fiscalização da utilização e venda de pneus usados, em eventual violação da legislação em vigor, de acordo com as suas competências específicas.

As Entidades promotoras da iniciativa vão lançar, em simultâneo, uma campanha publicitária, informação em folhetos e nos respectivos websites, com dicas e conselhos úteis ao consumidor na aquisição, montagem e utilização de pneus.